AFW 150-2
RAH100 tambor de reciclagem
ARW 65
SISTEMA DE CONTROLE AS1
AMMANN ServiceLink
Conceito sem eixo traseiro
Sistema inteligente de tração de reinicialização da máquina
AMMANN COMPACTION EXPERT
Elevação da cabine em rolos tandem
Controles remotos por infravermelho
Queimador de serragem de madeira nas usinas de mistura asfáltica
Diminuindo vibrações indesejadas
Sistema de excitação de eixo triplo
Centrais de mistura de concreto de transporte otimizado
Centrais estacionárias de concreto com versão de elevador ou correia
Go Back

A história da Ammann é de inovação. As dezenas de patentes que a empresa assegurou em seus 150 anos de existência comprovam esse ponto.

A busca pela inovação já estava em andamento em 1908, quando a Ammann teve uma patente concedida para uma máquina para macadame –- essencialmente uma combinação entre uma central de mistura de asfalto e uma pavimentadora. A máquina usava o que era uma tecnologia revolucionária na época para eliminar um perigo emergente à saúde – a poeira expelida pelos automóveis.

O progresso de hoje repousa solidamente sobre esse alicerce, estabelecido décadas atrás. A tecnologia é desenvolvida e aprimorada continuamente para produzir as máquinas, instalações e serviços que ajudam os clientes a encontrar soluções para os desafios diários.

No mundo de hoje, essas soluções envolvem cada vez mais sustentabilidade para proteger nosso planeta e seus recursos para as gerações futuras. O equipamento de compactação é construído para atingir as metas no menor número de passagens, minimizando assim a queima de combustível e o desgaste da máquina. As pavimentadoras apresentam automação para otimizar o uso de material. As centrais de mistura de concreto e asfalto da Ammann utilizam a tecnologia para permitir a produção com porcentagens extremamente altas de materiais reciclados.

Que caminho a Ammann seguirá nos próximos 150 anos? Para obter essa resposta, basta olhar para nossa história de criação de produtos inovadores, que ajudam os clientes e protegem o mundo ao nosso redor.

PRESS RELEASE

  • Fotos

  • Vídeos

  • Virtual Tour

A indústria da pavimentação quase sempre foca em grandes obras. Aeroportos e rodovias gigantescas – e as largas elevações que eles necessitam – parecem roubar toda a atenção.

Mas como ficam os trabalhos menores, como as ciclovias e a cobertura das valas que foram feitas para a passagem de fiações elétricas?

A abordagem tradicional nesses canteiros de obras tem sido a colocação manual da mistura asfáltica. Este é um trabalho difícil e demorado – e a qualidade do produto final não pode ser comparada com a das superfícies pré-compactadas e lisas que uma pavimentadora pode proporcionar.

A Ammann conquistou esse desafio com a introdução da mini pavimentadora AFW 150-2. A máquina chegou ao mercado em 2009 e foi reintroduzida o ano passado – mantendo o design e o conceito, mas incorporando novas tecnologias.

A AFW 150-2 é uma máquina verdadeiramente exclusiva no mercado, capaz de pavimentar em larguras tão estreitas quanto 250 mm. A máquina é ideal em aplicações como ciclovias, calçadas e caminhos para jardins. Ela pode pavimentar larguras até 1650 mm, quando são necessárias pavimentações mais largas.

A AFW 150-2 uma pavimentadora de três rodas: duas na parte traseira, para permitir a tração, e uma na frente, para um melhor controle da direção. Ela pode ser operada por um único operador e deixa uma superfície nivelada e compactada que nunca poderia ser alcançada manualmente.

E quanto à produtividade? As equipes que utilizam a pavimentadora dizem que ela é mais de duas vezes mais rápida que a conclusão manual do trabalho.

Sempre haverá a necessidade de pavimentadoras capazes de trabalhar em grandes larguras. Mas a AFW 150-2 ajuda as equipes a terem sucesso – e lucro – ao trabalharem em projetos menores também.

Clique aqui para mais informações sobre AFW 150-2

  • Fotos

A equipe da Ammann se juntou na Bauma 2007, em Munique, com um novo produto que deixou a indústria da construção rodoviária de boca aberta: o secador RAH100.

O RAH100 não era uma simples otimização de um produto existente. Era muito mais do que isso. O secador oferecia a possibilidade de se criar uma mistura consistindo de 100% de asfalto reciclado, um benefício que nenhum competidor poderia igualar.

A equipe da Ammann desenvolveu o secador através da combinação entre o pensamento criativo e a excelência tecnológica.

A temperatura é sempre uma consideração essencial quando se usa RAP, pois o mesmo deve ser aquecido entre 120ºC e 130ºC. No processo de aquecimento é onde começam as complicações. O RAP deve atingir sua temperatura-alvo, mas não pode ficar muito quente quando é aquecido.

Finalmente, a equipe desenvolveu uma solução para criar um processo de secagem contrafluxo em que o RAP é forçado a fazer uma “saída precoce”. A RAH100 consiste em duas seções conectadas. Uma delas é uma câmara de aquecimento estático que contém um queimador e força o ar em direção à segunda seção, que é uma secador contrafluxo.

O RAP entre na extremidade mais distante da seção da secador contrafluxo e se move em direção à câmara de aquecimento. Entretanto, o mesmo sai da secador antes de entrar na câmara de aquecimento, logo nunca se torna tão quente ao ponto de o betume ser danificado.

“Aquela utilização de 100% foi um marco, e a Ammann foi a primeira na indústria a atingi-lo”, disse Peter Maurer, gerente global para usinas de asfalto na Ammann. “Ela nos colocou em destaque e assim nos mantivemos desde então. Os competidores tentam nos alcançar, mas continuamos fazendo melhorias naquilo que criamos naquela altura. Mantemo-nos confiantes sobre a nossa posição de liderança no mercado”.

Clique aqui para mais informações sobre RAH100

  • Fotos

  • Virtual Tour

As exigências para a compactação de solo são substancialmente diferentes daquelas para a compactação de asfalto. As necessidades variadas tipicamente significam que o equipamento especificado para ambas as aplicações precisam ser trazidos de muitos canteiros de obras. Então surgiu o rolo de compactação manual ARW 65 da Ammann, com características que o permitem que uma única máquina realize ambas as aplicações.

O segredo foi criar uma máquina que oferecesse duas amplitudes: uma para o solo e outra para o asfalto. Antes, os rolos tinham uma única configuração. Os empreiteiros precisavam escolher duas máquinas, cada uma com uma amplitude diferente, para atingir a compactação apropriada nas várias superfícies. Com a ARW 65, a máquina tem duas configurações, para que a amplitude desejada para solo ou asfalto possa ser acessada com a mudança de uma chave.

Compactação de asfalto requer medidas adicionais, incluindo o uso de sistemas de água para evitar aderência. A ARW 65 também inclui um taque de água e um aspersor pré-montado. O sistema é acessível quando necessário, mas não interfere quando está trabalhando com materiais não asfálticos.

O empreiteiros perceberam rapidamente a eficiência que um ARW 65 proporciona. Hoje, as máquinas estão rotineiramente nos canteiros de obras, prontas para ir ao trabalho rapidamente, não importa qual a aplicação.

Clique aqui para mais informações sobre ARW 65

  • Fotos

  • Vídeos

A Ammann já estava estabelecida como pioneira em sistemas de controle de usinas de mistura asfáltica quando a Bauma foi realizada em Munique em 1989. Mas, na feira da indústria da construção, a empresa deu um outro salto à frente com o lançamento do primeiro sistema de controle totalmente computadorizado.

O sistema, o AS2000, foi revolucionário. Deu um fim aos grandes painéis de controle que eram utilizados até então. No lugar deles, os operadores passaram a usar uma caneta sensível à luz para inserir dados em um monitor CRT. O AS2000 também tinha hardware dedicado com um sistema operacional de tempo real que podia rastrear o processo inteiro no monitor – outra característica única em 1989.

Em um desenvolvimento subsequente, o as2000plus foi apresentado em 1995. Com essa apresentação, hardware padrão pôde ser utilizado – uma novidade. Usava um sistema operacional baseado em Unix, e também marcou a primeira vez que mouse e teclado padrões foram usados para operar uma usina. Esse sistema de controle ofereceu uma interface de usuário moderna e excelentes funções de personalização.

Na Bauma Munique 2004, um sistema inteiramente novo foi lançado: o sistema de controle as1, que usava o sistema operacional Microsoft Windows.

O uso do Windows foi significativo devido à sua capacidade de combinar dados do escritório/da administração com dados de produção. A transferência de dados foi acelerada com o uso de uma rede, o que levou à melhoria da eficiência e a melhores decisões de negócio baseadas em informação.

O as1 continuou a evoluir. Módulos que focam em processos específicos, como monitoramento de energia e reciclagem, entre muitos outros, agregaram ainda mais valor ao sistema.

Os últimos esforços incluem melhorias na interface e movimentos em direção à produção mais inteligente. Por exemplo, um sistema fieldbus baseado em Ethernet foi lançado em 2016. Ele reconhece que sensores e atuadores se tornarão cada vez mais inteligentes e, então, irão precisar trocar mais informações. O sistema também melhora muito as capacidades de diagnósticos remotos.

Mais mudanças virão, incluindo outros ajustes na interface e nos módulos de usuário. Se a história provou algo, foi que a equipe do sistema de controle de usinas da Ammann está sempre procurando maneiras de melhorar o que é oferecido.

Clique aqui para mais informações sobre as1

  • Fotos

  • Vídeos

O gerenciamento de equipamentos de compactação leves na sua frota de máquinas tem seus desafios.

Muitos negócios possuem uma grande quantidade de máquinas. Essa grande quantidade torna difícil o monitoramento das necessidades de manutenção e de status das cargas das baterias. Para além disso, o não acompanhamento da situação dessas necessidades pode ter um impacto negativo na vida útil das máquinas e, no caso das baterias sem a carga adequada, pode levar a tempos de inatividade não planejados e dispendiosos.

A Ammann reconheceu a necessidade de existir um sistema abrangente de gerenciamento de frota de compactação leve. O resultado é o Ammann ServiceLink, uma solução digital lançada em 2016.

O Ammann ServiceLink oferece acesso imediato a informações importantes, como o estado da bateria e os horários de manutenção para ferramentas de compactação manuais, tais como as máquinas de compactação de placa vibratória. Ele é compatível com todas as máquinas com bateria com capacidade até 30 volts, independentemente da marca da máquina. Isso permite o rastreamento da frota sem uma ferramenta separada para cada marca.

O ServiceLink da Ammann possui um relé de hardware que pode ser montado em qualquer máquina com uma bateria de até 30 volts. O relé armazena e envia detalhes da máquina, como tensão da bateria, horas de trabalho e arranques da máquina. Informações adicionais, como garantia ou agendamentos de manutenção, podem ser armazenadas diretamente no sistema ServiceLink. Os dados podem ser acessados através de um computador ou de um aplicativo intuitivo.

O sistema de gerenciamento de frota também é uma ótima ferramenta para empresas de aluguel. Ele pode monitorar a utilização de máquinas 24 horas por dia, sete dias por semana – permitindo que as frotas de aluguel rastreiem e cobrem com precisão durante o uso em horas extras, como finais de semana. O sistema de gerenciamento de frota também provou ser uma ótima ferramenta para empresas de aluguel, pois elas muitas vezes possuem uma grande quantidade de equipamentos leves de compactação.

O Ammann ServiceLink está constantemente sendo melhorado e, seus mercados, alargados. Grandes máquinas de compactação e pavimentadoras estão sendo adicionadas ao sistema. Mas isso não é só para as máquinas novas. O ServiceLink também é oferecido como uma remodelagem para máquinas mais antigas da Ammann – e também para equipamentos construídos por outros fabricantes.

Espere por muito mais do Ammann ServiceLink no futuro. As capacidades do sistema serão expandidas para incluir equipamentos maiores e comunicações de barramento CAN em relação à localização, utilização de combustível, potenciais códigos de erros e muito mais.

Clique aqui para mais informações sobre ServiceLink

  • Fotos

  • Vídeos

A maioria dos compactadores de solo tinha um conceito similar, com o motor localizado sobre o eixo traseiro, até meados da década de 1990, quando surgiu a inovadora máquina sem eixo traseiro.

A máquina de compactação da Ammann lançada parecia diferente porque representava um conceito de projeto radicalmente melhorado. A equipe de desenvolvimento de produto da Ammann escolheu eliminar o eixo traseiro. Isso permitiu que o motor fosse colocado entre as rodas e muito mais perto do chão, o que, por sua vez, criou uma série de oportunidades.

Para começar, a visibilidade traseira foi infinitamente melhorada porque o capô do motor não bloqueia a visão do operador. Isso melhorou não só a segurança, mas também o conforto, porque reduziu enormemente o quanto os operadores tinham que se esticar e girar.

O centro de gravidade mais baixo proporcionou outro benefício fundamental: estabilidade. As máquinas de compactação foram capazes de trabalhar em locais com inclinações mais íngremes do que as consideradas anteriormente.

A localização do motor também facilitou a manutenção. Sua localização permitiu que pontos de serviço pudessem ser acessados do chão, tornando a manutenção mais rápida e também mais segura, já que os operadores podiam acessar fluidos e filtros a partir do chão.

Clique aqui para mais informações sobre Conceito sem eixo traseiro

  • Fotos

  • Vídeos

  • Virtual Tour

Rolos de pneus pneumáticos são construídos para lidar com configurações variadas de peso e o Ammann ART 280 não é exceção.

É óbvio, mas vale mencionar que a operação de uma máquina de compactação será diferente de acordo com o peso da máquina. Será mais difícil parar uma máquina mais pesada. Portanto, sua velocidade máxima também será reduzida por questões de segurança.

Embora estes fatores possam ser evidentes, os ajustes necessários podem ser difíceis de serem implementados por operadores, particularmente aqueles sem muita experiência.

Isso levou a Ammann a desenvolver o sistema inteligente de tração de reinicialização da máquina, que mede automaticamente o peso de uma máquina cada vez que ela é iniciada. Se necessário, o sistema ajusta as configurações de freios e a velocidade máxima para otimizar a segurança.

Graças a esse sistema inovador, os operadores têm uma ajuda e os canteiros de obras estão mais seguros.

Clique aqui para mais informações sobre Sistema inteligente de tração de reinicialização da máquina

  • Fotos

  • Vídeos

Informações confiáveis podem ter um grande impacto nos custos do canteiro de obras. Se um operador souber que os objetivos de compactação foram atingidos, ele pode então se mover para um local diferente. Pelo contrário, permanecer tratando superfícies que já estão devidamente compactadas porque o operador não sabe se os objetivos de compactação foram atingidos é uma perda de tempo, combustível e horas de máquina – todas estas situações têm seus custos. Adicionalmente, a isso pode levar a uma compactação em excesso.

O Ammann Compaction Expert (ACE) é um sistema de compactação inteligente proprietário que dá aos operadores as informações essenciais necessárias para que estes tomem as decisões corretas no canteiro de obras.

O sistema básico ACE utiliza iluminação LED para indicar o progresso que está sendo feito na compactação. Ele não confirma que os objetivos de compactação foram atingidos, apenas que está ocorrendo compactação – o que é uma informação extremamente útil para os operadores.

Também estão sendo desenvolvidas opções mais sofisticadas de ACE. O ACEforce mede a compactação e atribui valores específicos ao progresso, que são exibidos digitalmente. Ele pode confirmar que os objetivos de compactação foram atingidos. O ACEforce também permite a análise de dados através do sistema de documentação da Ammann (ADS – Ammann Documentation System).

O ACEpro é o sistema mais avançado. Ele não só mede o progresso da compactação e ativa o ADS, como também permite um ajuste instantâneo e contínuo da amplitude e da frequência – automática ou manualmente.

Não importa o nível de sofisticação, todos os sistemas ACE, sem exceção, proporcionam informações e um nível de eficácia que fazem uma diferença substancial nos canteiros de obras.

Clique aqui para mais informações sobre Ammann Compaction Expert (ACE)

  • Fotos

O acesso a componentes fundamentais pode ser difícil em máquinas de compactação de asfalto grandes ou tecnologicamente avançadas. Os engenheiros da Ammann tiveram uma ideia inovadora para resolver este problema através de um sistema de elevação da cabine sem igual.

O sistema levantou a cabine toda – especificamente, inclinou a cabine para frente – para melhorar enormemente o acesso de técnicos quando são necessários consertos ou manutenções difíceis na máquina. A equipe de projetos da Ammann também colocou todos os principais filtros e portas de manutenção em locais de fácil acesso.
Essas inovações reduzem significativamente o tempo de manutenção, colocando, dessa forma, a máquina rapidamente de volta ao trabalho.

O tempo de manutenção mais curto, bem como o fácil acesso dos técnicos, é bastante apreciado pelos clientes.

Clique aqui para mais informações sobre Elevação da cabine em rolos tandem

  • Fotos

  • Vídeos

Os rolos de trincheira ARR da Ammann oferecem um grande aperfeiçoamento em segurança de canteiros de obras mantendo operadores fora de espaços perigosos.

No entanto, os rolos são operados por controle remoto, o que, no passado, gerou certa preocupação. O que aconteceria se o operador perdesse a máquina de vista? E se a máquina se movesse para tão longe que o operador não pudesse mais controlá-la ou mesmo desligá-la em uma emergência?

A Ammann abordou essas preocupações com um sistema de controle remoto por infravermelho (IR, na sigla em inglês) altamente avançado. Um sinal infravermelho constante conecta o operador ao rolo de trincheira. Se o sinal for interrompido, o sistema inteligente sabe que uma conexão visual foi cortada e a máquina para.

A máquina também para se mover-se para mais de 20 metros de distância do operador, ou se chegar muito perto dele.

É a segurança e a tranquilidade nos canteiros de obras que faz com que este desenvolvimento seja mais gratificante.

Clique aqui para mais informações sobre Controles remotos por infravermelho

  • Fotos

Às vezes, um avanço tecnológico não só resolve um problema específico, como também resulta em melhorias em muitas frentes. Esse foi o caso com a introdução do queimador de serragem de madeira em algumas usinas de mistura asfáltica da Ammann.

O queimador transforma serragem de madeira, um material disponível em fontes locais, em um combustível renovável, um benefício fundamental para qualquer indústria, incluindo a produção de asfalto.

Transformar a serragem de madeira em combustível foi só o começo. O que fez o queimador de serragem de madeira ainda mais notável foi sua neutralidade de carbono. O dióxido de carbono liberado ao queimar madeira (aproximadamente 1900 gramas de CO2 para cada 1000 gramas de madeira queimada) é compensado pelo fato de a árvore ter consumido essa quantidade de dióxido de carbono durante sua vida. Portanto, essa parte da emissão é neutra quanto ao carbono. O objetivo da neutralidade de carbono busca minimizar o impacto sobre o meio ambiente reduzindo o nível de gases do efeito estufa na atmosfera.

O queimador tem se provado eficiente e é utilizado em várias das usinas de mistura asfáltica da Ammann. Também pode ser remodelado em usinas já existentes.

Em alguns casos, o combustível renovável e neutro quanto ao carbono é usado para transformar asfalto reciclado em nova mistura, oferecendo um grande número de benefícios verdes adicionais.

Clique aqui para mais informações sobre Queimador de serragem de madeira nas usinas de mistura asfáltica

  • Vídeos

  • Virtual Tour

Poder de compactação é uma coisa boa. É isso que aumenta a densidade do solo e do asfalto, aumentando, assim, a força de sustentação de carga.

Ainda assim, ao final de um longo turno, operadores que sentem os efeitos vibratórios dos impactos de compactação da máquina talvez não apreciem tanto sua força.

Ao menos, esse costumava ser o caso. A Ammann, no entanto, mudou esse cenário com o lançamento da nova linha de máquinas de compactação de placa vibratória reversível APR.

As placas fornecem bastante compactação e produtividade, mas a inovação real por trás da máquina são seus baixos níveis de vibração mão-braço (HAV, na sigla em inglês). Uma montagem especial para o cabo de orientação é fundamental para a redução da HAV. A montagem isola a vibração e evita que ela atinja o operador, aumentando significativamente o conforto e a segurança.

Os níveis de HAV nas novas placas estão abaixo do limite de 2,5 m/sec2. Para se ter uma ideia, esse nível é tão baixo que a documentação das horas do operador não é necessária, nem mesmo nos países com regulação mais exigente.

Os operadores nos canteiros de obras elogiam sem demora a redução da vibração. Eles dizem que isso faz uma diferença substancial que é notada no momento em que eles começam a operar a máquina.

É o melhor dos dois mundos. O poder de compactação ainda está lá, ajudando os operadores a se manterem produtivos. E a redução – líder na indústria – dos níveis de HAV faz com que os dias dos operadores sejam não só produtivos, mas também agradáveis.

Clique aqui para mais informações sobre Diminuindo vibrações indesejadas

  • Fotos

  • Vídeos

  • Virtual Tour

As máquinas de compactação de placa vibratória são ferramentas de compactação ideais para aplicações pequenas e médias. Mas muitas tendem a pular e aterrissar com seu peso e com a borda da placa apontando para baixo. Isso faz com que a máquina cave a superfície, onde ela pode ficar presa – e, no mínimo, difícil para o controlador operar. Isso causa particular preocupação em compactadores de placa mais pesados, com foça de compactação significativa.

A Ammann praticamente eliminou esse pulo contraproducente em 1998, com a introdução do sistema de excitação de eixo triplo em máquinas de compactação de placa vibratória hidrostáticas que variam de 360 a 780 kg.

Antes, as máquinas de compactação tinham dois eixos vibratórios que giravam para direcionar a força de compactação ao solo. O problema? A mesma força que direcionava as placas para baixo, também tiravam a máquina do chão na segunda metade da rotação. O resultado era aquele pulo indesejado.

O uso de um terceiro eixo elimina o pulo. O eixo fornece vibração adicional, certamente um benefício, mas sua função principal é dar equilíbrio à máquina.

O terceiro eixo, localizado no centro do sistema, equilibra os outros eixos. Ainda há algum movimento para cima e para baixo, mas muito mais suave, mantendo as placas na posição horizontal e evitando que as bordas das placas cavem os materiais. Isso é particularmente importante ao trabalhar com materiais molhados ou soltos, quando as placas convencionais tendem a se enterrar no chão.

O sistema de eixo triplo fornece ainda outro benefício significativo: O movimento estável também faz das máquinas escaladores excepcionais.

O sistema patenteado é ainda atualmente uma vantagem sem igual das placas APH da Ammann, dando a elas a potência e o controle extras pelos quais são conhecidos no mercado.

Clique aqui para mais informações sobre Sistema de excitação de eixo triplo

  • Fotos

Alguns clientes precisam mudar rapidamente de um local para outro. A série CBT de centrais de mistura de concreto de transporte otimizado ajuda centrais a irem onde são necessárias, de maneira confiável e econômica.

Em última análise, a série CBT oferece benefícios econômicos aos clientes. Os custos de montagem, desmontagem e frete são minimizados pela combinação das vantagens de um sistema compacto com as vantagens de um conceito de transporte de contêineres.

A unidade básica é transportada em três contêineres (dois de 40′ com abertura superior e um com estrutura plana de 40’) e atende as normas internacionais de transporte. Os custos de transporte são baixos, especialmente no setor externo, embora as especificações dependam do destino. O fácil transporte internacional torna a série CBT uma central de concreto de mistura pronta global.

A série CBT 105-150 TB Elba compacta e para transporte otimizado também é caracterizado por um design modular. Como resultado, as centrais podem ser colocadas em operação de forma rápida e barata. A alta qualidade de todos os componentes faz da CBT uma central de mistura de concreto de primeira classe.

Clique aqui para mais informações sobre Centrais de mistura de concreto de transporte otimizado

  • Fotos

Em 2013, decidimos proporcionar ainda mais eficiência aos nossos clientes, projetando uma plataforma comum para todas as centrais de mistura de concreto estacionárias. O conceito de design recém-criado abrange quase todos os tamanhos de centrais e está disponível nas versões com elevador ou correia.

Nove tamanhos diferentes de misturadores para as centrais de mistura de concreto da Ammann Elba CBS podem ser instalados dentro do projeto conceito. Isso significa que um novo misturador pode ser facilmente integrado ao sistema existente sem a necessidade de adquirir uma nova central.

As centrais estacionárias de mistura de concreto da série CBS oferecem um amplo espectro de aplicação no sistema modular e no design galvanizado. As centrais também possuem plataformas opcionais confortáveis e extralargas que são pré-instaladas e pré-montadas. O cliente pode escolher entre a instalação em uma fundação de concreto ou uma estrutura de aço.

Clique aqui para mais informações sobre Centrais estacionárias de concreto com versão de elevador ou correia

By continuing to use the site, you agree to the use of cookies. more information

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close